segunda-feira, agosto 11, 2008

Free Press...

Estou cansada das opiniões sobre a imprensa gratuita. Estas dividem-se entre o “é maravilhoso” e o “é apenas publicidade, por vivem à base disso”.

«A imprensa gratuita tem uma capacidade de desenvolver novos e inovadores formatos, com um elevado impacto junto dos públicos-alvo» - dixit o director de Marketing da Coca-Cola Portugal, José Alberto Antunes. De notar que, os jornais gratuitos são publicações de, e para as populações, e que é de senso comum que muito poucos são aqueles que efectivamente lêem, sendo que a televisão veio alargar a entrega de informação, ao mesmo tempo que a standartizou.

Na realidade estes jornais não têm vergonha de afirmar que vivem para a publicidade. Pode-se verificar que este tipo de imprensa facturou quase 70 milhões de euros em publicidade em 2007. Porquê? Porque ninguém rejeita o que lhe dão para a mão, o que não significa que o leiam ou que entendam o que lá está. Infelizmente, os estudos da Psicologia estão repletos destes casos de leituras transversais ou não leituras. O que sabe melhor: uma amostra grátis de um paté gourmet ou um paté gourmet pago pelo nosso bolso? Eu escolho a segunda. E obviamente a mim ninguém me tira o meu Expresso ao Sábado – mesmo depois do Saraiva (na realidade acabo por comprar os dois, pela qualidade das infografias do segundo, certo Professor Hélder?) – tal situação, não impede que, nos semáforos, eu receba aprimoradamente o meu Destak ou Metro, que acaba por morrer no banco traseiro da minha viatura. Aliás, o gratuito "Sexta" iniciou a sua campanha assim.

Portanto, chegamos a um segundo ponto que é: há pessoas que realmente lêem. É verdade. E sim é exacto o facto de que, muitas vezes, a publicidade surja mascarada de notícia. Daí o termo "publireportagem", que é a coisa com a maior falta de discernimento que conheço. No entanto, cabe a cada pessoa conceber onde está a ser ludibriada e onde não está. Se uma notícia é mais importante que outra, não nos cabe a nós decidir, pois há muito que a discussão dos valores notícia se alongam nas cadeiras da academia. Por conseguinte, tenho de perceber se me tentam enganar.

Think different já defende a Apple. Nunca vamos tentar mostrar a realidade como ela é... porque sabemos que os media não são um espelho, mas uma escolha... e nesse ponto de vista, estamos a ser embusteados todos os dias. Há é que aprender a dizer não.

Aí está o desafio. Todos gostamos de ser desafiados.



Dêem-me calor, que com esta chuva já calcei as botas!!!

3 comentários:

Vouandandoporai disse...

Por falar em "Publicidade" e "Desafios"... já tiravas este popup irritante da Vueling que aparece sempre que entro no teu blogue... :P

Vouandandoporai disse...

É impressão minha ou já conseguiste!?!?!?!? :)

Provavelmente está relacionado com algum widget que tens instalado no blogue. :P

Faneca [de má raça] disse...

ná... agora é um teste do einstein... Céus...